Missão Urbana

União Central Brasileira

O Que as Visitas Têm o Direito de Esperar?

 

INTRODUÇÃO

1. Não é incomum que os visitantes compareçam às atividades da igreja…

a. Alguns vêm da comunidade local; outros estão de passagem, vindos de um local distante.

b.  Seja em áreas turísticas ou em regiões onde as pessoas estão chegando ou saindo com frequência,

2. Uma congregação deve ficar “super animada” em receber visitas.

a. Aqueles que visitam demostram interesse ou mera curiosidade

b. Isso provê a oportunidade para a igreja em servi-los

2. Agora, uma igreja deve se preocupar com o que um visitante vai encontrar…

a. Uma possível reação quando percebem algo errado é dizerem:  “Estão loucos” – 1 Co 14:23

b. Uma reação preferível é ouví-los dizer: “Deus, de fato, está no meio deles” – 1 Co 14: 24-25

[O que os visitantes têm o direito de esperar? Embora 1 Corintios 1:14

descreva uma igreja que desvirtuava os dons espirituais, esse capítulo também contém princípios que são verdadeiros em qualquer situação. Por exemplo, os visitantes têm o direito de esperar…]

I. EDIFICAÇÃO

A. NA CARTA AOS CORÍNTIOS

1. A palavra “edificação” aparece várias vezes – 1 Co 14:4,5, 12

2. Um princípio orientador para governar qualquer reunião é: “Seja tudo feito para edificação” – 1 Co 14:26

B. APLICANDO PARA HOJE…

1. A palavra “edificar” significa “construir”

2. Em uma assembléia de adoração, as pessoas devem sair mais fortes do que quando entraram

3. Os sermões, as apresentações musicais e orações devem ter essa meta

4. Esse objetivo deve estar sempre na mente:

a. Daqueles que lideram os serviços

b. Dos membros que comparecem regularmente

[Toda palavra dita antes, durante e depois dos serviços exerce uma influência em locais onde os visitantes encontram edificação. Por isso, visitantes também têm o direito de esperar…]

II. EXORTAÇÃO E CONSOLAÇÃO

A. NA CARTA AOS CORÍNTIOS…

1. As palavras “exortação” e “conforto” também são mencionadas – 1 Co 14:3

2. Sewell Hall observa nesta passagem que:

a. “A exortação impulsiona os presentes a fazerem o certo e a evitar o errado.”

b. “O consolo é realizado quando mencionamos o perdão e a longanimidade  para aqueles que precisam de Deus, tão logo procurem fazer a Sua vontade”

B. APLICANDO PARA HOJE…

1. Receber a exortação é um dos principais motivos para irmos à igreja  – Heb 10: 24-25

2. Exortar pessoas a fazer o certo muitas vezes envolve repreender aqueles que fazem o que é errado  – Tt 1:9; 2:15

3. Todavia, isso deve ser feito com longanimidade e doutrina – 2 Tm 4:2

4. “O pecado deve ser condenado, mas deve haver encorajamento para fazer o que é certo, e certeza de que é possível agradar a Deus” – Hall

[Os visitantes devem sair sabendo que a igeja encoraja pessoas a fazer o certo e oferece consolo para aqueles que se arrependem do que fizeram de errado.]

III. ENSINOS QUE PODEM SER COMPREENDIDOS

A. NA CARTA AOS CORÍNTIOS…

1. Paulo disse que o ensino deveria ser entendido – 1 Co 14:19

2. Um pouco antes, ele escreveu que ele não usou “ostentação de linguagem ou de sabedoria” – 1 Co 2:1

B. APLICANDO PARA HOJE…

1. Alguns pensamentos desafiadores de Sewell Hall a repeito da pregação:

a. “O propósito de pregar não é mostrar a eloquência, vocabulário ou a educação do pregador”

b. Um sermão, não importa quão profundo ou erudito, é sem valor se os ouvintes não compreendem.  Jesus disse que “as pessoas comuns O ouviram alegremente” (Mc u.p. 12:37).

c. “Enquanto pregamos , devemos estar mais preocupados em instruir  aos que não conhecem a Palavra e aos que não acreditam nela, a ganhar a aprovação daqueles que já sabem do que está sendo falado.”

2. Ellen White assim falou acerca da importância da música no culto:

a. “O canto é um dos meios mais eficazes para gravar a verdade espiritual no coração. Muitas vezes se têm descerrado pelas palavras do canto sagrado, as fontes do arrependimento.” Evangelismo, p. 500.

b. O propósito deve visar a instrução e o aconselhamento com “salmos, hinos e cânticos espirituais” (Cl 3:16).

c. Temo que muitas de nossas canções produzam mais entretenimento do que edificação.

[Visitantes têm o direito de entender o que está sendo dito ou cantado. Eles são tocados pelo conteúdo das palavras, tanto quanto pela maneira como são ditas.Visitantes também têm o direito de observar a …]

IV. PARTICIPAÇÃO DOS MEMBROS

A. NA CARTA AOS CORÍNTIOS…

1. Quando a palavra ‘amém’ é dita na ação de graças, o visitante imitará – 1 Co 14:16

2. Dessa maneira, demonstra-se participação na oração oferecida

B. APLICANDO PARA HOJE…

1. Como membro, você pode mostrar participação de várias maneiras:

a. Expressando um ‘amém’ quando as orações são oferecidas – Sal 106:48

b. Oferecendo um ‘amém’ quando concordando com algo dito durante o sermão

c. Participando dos cânticos com o melhor da sua habilidade.

d. Abrindo sua Bíblia, lendo junto, fazendo anotações

2. Quando os visitantes aparecem em sua igreja, eles vêem os membros participando?

a. Eles têm a impressão que os membros da sua igreja são ativos?

b. Ou existe desinteresse e distração?

[Visitantes têm o direito de ver os membros envolvidos no culto, com os ouvidos atentos para ouvir e os lábios se abrindo para cantar. As visitas são impressionadas quando vêem tal envolvimento, pois isto demonstra o interesse em algo importante e que valha a pena aprender! Mas os visitantes também têm o direito de esperar…]

V. DECÊNCIA E ORDEM

A. NA CARTA AOS CORÍNTIOS…

1. Paulo designou instruções para haver ordem

a. Para aqueles que falam em outro idioma – 1 Co 14:27-28

b. Para aqueles que fazem exposição de profecias – 1 Co 14:29-32

2.  O princípio é: “Tudo, porém, seja feito com decência e ordem.” – 1 Co 14:40

B. APLICANDO PARA HOJE…

1.Os serviços devem começar na hora certa

a. Os membros devem estar presentes quando os serviços começarem

b. De outra forma, seu atraso pode distrair os visitantes

2.  Os serviços devem demonstrar planejamento cuidadoso

a. Aqueles que lideram devem estar bem preparados

b. Anúncios devem ser apresentados com antecedência para evitar gritos da audiência

[ Visitantes que “louvam a Deus e relatam que Deus está verdadeiramente entre eles” certamente possuem um serviço ordenado e reverente que contribui para que isso aconteça. Mas apesar de tudo isso, os visitantes também devem esperar…]

VI. PAZ NA CONGREGAÇÃO

A. NA CARTA AOS CORÍNTIOS…

1. Paulo declarou que Deus não é autor de confusão, mas de paz  – 1 Co 14:33

2. Ele também escreveu que inveja, contendas e divisões eram indicativos de carnalidade – 1 Co 3:3-4

B. APLICANDO PARA HOJE…

1. Os visitantes têm o direito de frequentar uma congregação harmoniosa

a. São irmãos que se amam

b. São irmãos que ficam contentes em estar juntos

c. São irmãos que trabalham para acertar as diferenças

2. Jesus quer que seus discípulos estejam em paz

a. O nosso amor uns pelos outros mostra que somos seus discípulos – João 13:34-35

b. Nossa unidade demonstra o amor de Deus – João 17:20-23

CONCLUSÃO

1. Qual deve ser nosso objetivo em relação aos nossos  visitantes?

a. Que eles possam ser capazes de louvar a Deus – 1 Co 14:25

b. Que eles possam dizer “Deus está realmente entre vocês” – 1 Co 14:25

2. Nós também devemos esperar que, quando as visitas estão presentes…

a. O evangelho de Cristo seja comunicado de maneira clara

b. Tudo o que fizermos crie uma atmosfera que facilite a recepção da Palavra

c. Não deveríamos fazer nada que os impedissem na obediência ao evangelho

3. Alguns com “ouvidos entorpecidos para ouvir” e “duros de coração” não ficarão impressionados, apesar dos nossos melhores esforços, mas aqueles que possuem os corações “bons e nobres” têm todo o direito de esperar…

a. Edificação

b. Exortação e consolo

c. Ensinos que possam ser compreendidos

d. Participação dos membros

e. Decência e ordem

f. Paz na congregação