Missão Urbana

União Central Brasileira

O Poder da Oração no Plantio de Igrejas

Nunca subestime o poder da oração. Esse é o segredo dos bem-sucedidos plantadores de igrejas. Não é necessário um grande grupo de pessoas para que se inicie um reavivamento de oração em grupo de crentes. Ellen White afirma que “O reavivamento das igrejas provém do sincero esforço de alguma pessoa em buscar as benções de Deus. Essa pessoa tem fome e sede de Deus, e pede com fé, recebendo de acordo com ele.” S. Cristão, p. 121

Quando o núcleo da futura igreja começa a orar juntos, forma-se a unidade e uma grande preocupação pelo perdido irá se desenvolver em seus corações. Eles deveriam escolher Mateus 18:19 como texto da promessa e expor diante do Senhor cada pessoa de sua lista de oração: “Em verdade também vos digo que, se dois dentre vós, sobre a terra, concordarem a respeito de qualquer coisa que, porventura, pedirem, ser-lhes-á concedida por meu Pai, que está nos céus”. Ellen G. White fala de um incidente similar no início do movimento milerita:

“Providenciei reuniões com pessoas jovens de minha amizade, algumas dos quais eram consideravelmente mais velhas do que eu, e algumas, em menor número, casadas. Várias delas eram frívolas e desatenciosas; minha experiência soava-lhes aos ouvidos como uma história ociosa. Não davam crédito às minhas exortações. Decidi, porém, que meus esforços não cessariam sem que essas almas, por quem eu tinha tão grande interesse, se entregassem a Deus. Várias noites foram despendidas por mim, em oração fervorosa por aquelas pessoas que eu buscara e servira com o propósito de com elas trabalhar e orar.

Algumas delas se haviam reunido conosco pela curiosidade de ouvir o que eu tinha para dizer; outras, por ser então persistente. Mas em cada uma das nossas pequenas reuniões, continuei a exortar e a orar em prol de cada uma delas separadamente, até que todas se entregaram a Jesus, reconhecendo os méritos de Seu amor perdoador. Todas se converteram a Deus.” Vida e Ensinos, 33

Aqui estava o início do adventismo. Note como pessoas foram ganhas: através da oração e oração somente. Repare que as orações de Ellen G. White pelas pessoas não eram casuais, mas fervorosas, sinceras súplicas a Deus pela salvação de almas específicas. Ela aconselha que a igreja desenvolva o mesmo tipo de intenso interesse pelos perdidos:

“Apeguem-se os obreiros às promessas de Deus, dizendo: Tu prometeste: ‘Pedi e recebereis’. Eu preciso que esta alma se converta a Jesus Cristo. Solicitai orações pelas almas por quem trabalhais; apresentai-as perante a igreja como objeto de súplica. Será justamente o que a igreja necessita, para ter sua mente desviada de suas pequenas e prediletas dificuldades,para sentir grande fardo, pessoal interesse por uma alma que esteja prestes a perecer. Selecionai uma nova alma, e ainda outra, buscando diariamente guia de Deus, em Suas mãos depondo tudo em fervente oração, e trabalhando em sabedoria divina. Ao fazerdes isto, vereis que Deus dará o Espírito Santo para convencer a alma, e o poder da verdade para convertê-la”. Medicina e Salvação, 245

“Por quê os crentes não sentem um profundo e mais sincera preocupação por aqueles que não estão em Cristo? Por que dois ou três não se reúnem para suplicar a Deus pela salvação de alguém em especial e então de outro?”. Testemonies, vol. 7 , p. 12

Estratégia de oração

1-   O plantador de igrejas deveria dividir o território em quarteirões. Cada membro do núcleo deveria escolher um ou dois blocos como seu território especial de oração. O passo seguinte é reconhecer a área. Ao andar pelas ruas ore silenciosamente pelas casas da área. Nenhum contato é feito neste momento. No entanto, observe a comunidade e tente identificar suas necessidades.

2-   No próximo dia, ele bate à porta de cada casa. Identifica-se como agente do programa “É hora de Viver”. Diz que está iniciando uma novo projeto ali e que está buscando se familiarizar com os novos vizinhos orando por eles. Então pergunta-lhes se não têm pedidos de oração específicos de oração. Muitos visitantes encontrarão uma resposta positiva a esta aproximação.

3-   Após estabelecer confiança em 2 a 3 visitas de oração, desenvolva relacionamento de amizade com a vizinhança. Mencione que há um grupo na vizinhança que se reúne regularmente para orar por cada um. Convide-a a se reunir ao grupo.

4-   Estabeleça um grupo familiar centrado na oração. Introduza um estudo bíblico sobre oração e então comece a abordar outros estudos.

5-   Convide-o para o primeiro serviço de culto da nova igreja.