Missão Urbana

União Central Brasileira

Busque levar toda a família a decisão

por Emilio Abdala

 A Bíblia repetidamente ilustra o esforço de Deus para salvar as pessoas em família. Como um ganhador de almas, você será mais frutífero se puder conduzir famílias inteiras a tomar a decisão por Cristo. Algumas das personalidades bíblicas que experimentaram alegria de ver sua família salva incluem Abraão (Gênesis 18:19), Raabe (Josué 2:18), Cornélio (Atos 10:24, 44) e o carcereiro de Filipos (Atos16: 30-34). Foi Pedro que se alegrou com o dia em que Cornélio e toda a sua casa foram salvos em resposta à sua pregação. E Paulo foi abençoado ao poder batizar a família do carcereiro que o tinha prendido.

Aqui está um episódio da vida de Ellen White, que pessoalmente conduziu dezenas à decisão. Esse fato ocorreu no nova Zelândia, durante os anos em que ela morou na vizinha Austrália. Já naquela época, na cidade de Wellington, não havia nenhuma casa de culto adventista e o povo era preconceituoso. Ellen em agonia clamou: “Deus tem um povo neste lugar, como podemos alcançá-los?” Meses depois, ela recebeu um convite de Martha Brown, que a ajudou na cozinha, por ocasião de sua primeira visita a Nova Zelândia. Martha convidava a Sr.ª White a descansar uma semana em sua casa. Esse fato ilustra a técnica de se ganhar famílias para Cristo.

A mãe de Martha, uma agradável senhora, tinha sido uma viúva por oitos anos e era mãe de treze filhos, todos vivos. Ela sempre tinha tido uma vida dura, e naturalmente ocupada. (observe que Ellen White conhecia tudo acerca da família). Martha foi o primeiro membro da família Brown a se tornar Adventistas Sétimo Dia, seguida pela mãe. Ellen White se encontrava agora no meio de um carente campo missionário, e resolveu deixar a sua luz brilhar. “Vou trabalhar com essa família”, ela escreveu “cada manhã e noite” – carta 138 – 1853.

No meio da noite foi instruída pelo anjo de Deus a conduzir à família da irmã Brown à decisão, falando a cada um dos filhos particularmente. (obtenha decisão  individuais de cada pessoa da família). Isabella tinha 22 anos e tinha uma forte influência sobre os membros mais jovens da família. Ela era muito mundana, pois amava festas e danças. (Ellen White estudou a condição espiritual de cada membro da família). No culto familiar daquela segunda de manhã, Ellen White se dirigiu a ela: “Você vai dar o seu coração a Jesus? Vai cortar as cordas que a prende ao mundo, seus prazeres e atrações, e deixar o serviço de Satanás para ser uma seguidora de Jesus?” Ela disse, “Eu irei”.

O próximo era Alex, o único rapaz do lar, que era obrigado a levar pesadas responsabilidades para um jovem de 16 anos. Ele era inteligente e esperto. Ela se dirigiu a ele: “Você vai decidir nesta manhã confessar Jesus Cristo?… Irá escolher ser um filho de Deus e servi-lo com melhor dos seus talentos?” Ele respondeu, “Eu irei”.

Victoria era bastante crescida para uma menina de 14 anos. Virando-se para ele, Ellen White a chamou pelo nome: “Jesus diz a você nesta manhã, Victoria, segue-me. Irá você obedecer à Sua voz? Irá entrar na escola de Cristo para aprender dEle?” Ela respondeu decididamente, “Eu irei”

Então a ultima foi Charlotte, a quem Ellen White falou: “Estou certa de que você deseja ser filha de Deus. Você deseja aprender de Jesus, você ama ao Senhor Jesus. Irá confessar que O ama?” Ela aceitou.

“Agora o meu coração ficou quebrantado diante do Senhor, misturado com o Seu amor”, escreveu Ellen White, “e nós tivemos um culto de oração de graças naquela manhã. (Ellen White finalizou com uma oração de gratidão). Arthur L. White, the Australian Years. (Washington, Dc. Review and Herald, 1983) 4:100-102