Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/missaourbana.org/public/wp-content/plugins/pa-plugin-utilities/classes/controllers/IASD_Menu.class.php on line 75
    Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/missaourbana.org/public/wp-content/plugins/pa-plugin-utilities/classes/controllers/IASD_Menu.class.php on line 40 Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /home/missaourbana.org/public/wp-content/plugins/pa-plugin-utilities/classes/controllers/IASD_Menu.class.php on line 75

Missão Urbana

União Central Brasileira

Estratégia Urbana

Antes de iniciar ou expandir um ministério, nada é mais crucial do que a criação de uma estratégia urbana. Enquanto a maioria dos líderes tradicionais tende a pensar mais nos limites de suas “paróquias” ou no “quintal” de suas igrejas, um estrategista urbano busca desenvolver um padrão que será eficaz em alcançar todos os grupos de pessoas em todos os lugares possíveis. Após plantar várias igrejas cada ano com estudantes seminaristas em diferentes estados brasileiros, a minha nova experiência como evangelista em uma grande metrópole tem me mostrado a necessidade de desenvolver uma estratégia urbana que inclua os seguintes passos:

1. Crie uma base de oração para as suas atividades. Nada é mais susceptível ao perigo e fracasso do que trabalhar na seara sem ter comunhão com o Senhor da seara.

2. Estabeleça uma cultura missionária. É necessário criar uma cultura evangelística para que as igrejas cresçam. Muitos pastores estão desanimados pela falta de interesse de seus membros em alcançar os perdidos. As igrejas parecem estar mais preocupadas em discutir argumentos sobre a música e a carne do que em evangelizar os perdidos. Se metade da energia que tem sido gasta nesses assuntos minúsculos, nessas “batalhas da adoração,” fosse gasta no evangelismo, ficaríamos chocados com os resultados. Muitos membros são totalmente desinteressados no crescimento de sua igreja

3. Colete informações. Seja um Sherlock Holmes realizando um trabalho investigativo em todos os bancos de dados disponíveis, como o censo do IBGE, estudos sociológicos e reportagens sobre a sua cidade e a região que se pretende trabalhar. Eis algumas perguntas básicas que devem ser feitas:

a. Quantas crianças, aposentados e idosos residem ali?

b. Onde estão os pobres? E os ricos?

c. Que grupos étnicos residem na área e onde se concentram?

d. Qual o nível educacional e ocupação das pessoas?

e. Onde estará a população em 5 anos? E em 10 anos?

f. Onde o desenvolvimento urbano ocorrerá?

g. Quais as necessidades básicas da população?

4. Crie um mapa estratégico. Adquira o maior e mais detalhado mapa disponível de sua região. As fronteiras da cidade devem ser cuidadosamente delineadas. Use alfinetes para marcar a localização exata de todas as estruturas religiosas existentes e grupos étnicos. Crie um molde mostrando uma pirâmide da população, rotas de migração, preferencias religiosas, renda, tipos de moradias e uma breve descrição da comunidade e da vizinhança.

5. Pesquise a receptividade da população. Uma vez que a região foi sistematicamente examinada, um passo crítico que deve ser realizado é entrevistar segmentos da população para identificar receptividade. Jovens e casais novos são geralmente mais receptivos do que a meia idade e idosos. Pessoas educadas e a elite são mais resistentes do que os pobres. Há três maneiras de fazer isto:

a. Descubra que segmentos da população estão se convertendo a Cristo em igrejas existentes.

b. Descubra que segmentos da população são mais vulneráveis ao evangelismo dos evangélicos e o que os leva a responder.

c. Entreviste pessoas em diferentes regiões da cidade. Descubra se há receptividade em certos grupos e onde eles se localizam.

6. Selecione áreas ou grupos de pessoas para a evangelização. É possível alcançar áreas com características similares. Em algumas áreas podem prevalecer casais de meia idade com adolescentes, em outras pessoas de determinada cultura. Através dessa seleção, pequenos grupos podem se infiltrar com materiais e atividades apropriados para pessoas de interesses e necessidades similares.

7. Crie uma estratégia de ação. As perguntas que o plantador de uma nova igreja precisa responder podem incluir as seguintes:

a. Quais os são os segmentos mais receptivos que foram descobertos?

b. Que grupos deveriam ser primeiro alcançados? Onde eles vivem?

8. Selecione e treine equipes de liderança. Tudo acontece em torno de líderes. A pessoa certa na posição certa com a benção de Deus, geralmente tem o resultado certo. Para recrutar pessoas que façam parte de um núcleo de pessoas comprometidas, é necessário comunicar a visão e solicitar voluntários que queiram ser treinados e mobilizados para a ação.

9. Mobilize os membros para a ação. Ninguém alcança o êxito sem apoio de outros. Mobilize pessoas, engaje-as nos projetos, faça com que participem. Treine-as. Fazendo com que se envolvam, grandes realizações aconteceram e o trabalho terá mais êxito em todas as frentes.

10. Avalie o trabalho realizado e faça correções. Faça avaliações contínuas em todas as etapas do projeto. Assim haverá maior controle das ações, possibilidades reais de correções e tempo maior para aprimorar as estratégias.

Lembre-se de que todo o trabalho que realizamos com vistas a salvar pessoas deve se orientado pelo Espirito Santo. Ore, trabalhe, motive, lidere, corrija, aprimore. Isso é servir. Essa é a missão.